Pesquisar este blog

domingo, 18 de outubro de 2009

Texto do www.psiconet.org.br

Recebi esse texto, mas infelizmente não consegui localizar a autora. Por isso, a única referência q posso dar do texto é o www.psiconet.org.br. Acho q vale a pena...

"Tudo no mundo e nas pessoas têm e funcionam por um padrão. Quanto mais humana a ciencia, mais sutil é o padrao, pq afinal, as pessoas são diferentes em varios sentidos.

Mas vejam a medicina, as doenças têm um padrão, os remédios têm um padrão, que não funciona para todos os casos, por isso tantos remedios diferentes, mas tem um padrao. Por exemplo, pq tantos antiinflamatorios? Um dos motivos é que pessoas tem sensibilidade, alergia e outras doenças que impedem que tomem alguns deles.

Eu acho que a bipolaridade em si não é doença. Não somos doentes. Somos diferentes.

Já confirmei com muitos bipolares a sensação que tive quando recebi meu diagnóstico ha vinte anos atras.

Foi um misto de alivio e indignação.

Alivio pq pensei, que bom, tudo o que fiz e faço de "estranho" não é culpa minha, é doença e tem um nome e tratamento.

Indignação pq a única coisa que sempre tive certeza na minha vida, aquela em que baseei todo o meu valor enquanto pessoa e ser humano era minha mente, meu raciocionio e minha inteligencia. Quem aquele medico pensava que era para me dizer que eu não podia confiar na minha mente?

E foi essa indignaçao que me levou todos esses anos a uma busca obsessiva por uma resposta, por uma solução.

Então cheguei a esta conclusão, a bipolaridade em si não é doença, não sou doente, sou diferente.

Mesmo sabendo tudo o que ja se descobriu, incluindo as ultimas descobertas de que a amigdala cerebral no bipolar, responsavel pelas emoçoes, é maior e se estimula sozinha. Que o lobo frontal, responsavel pela razao, é ligeiramente menor.

Mesmo assim.

A bipolaridade simplesmente faz com que nossas emoções sejam tão intensas que suplantam a razao.

E nossa ansiedade de tentar viver neste mundo é tao grande que abre brechas para doenças como depressao, panico, paranoia, e outras comorbidades.

Só que o mundo e a ciência são limitados e, ao inves de se tentar encontrar formas e ferramentas de aproveitar o que de melhor a bipolaridade pode trazer, encontraram formas de achatar nossas emoçoes para nos adequar ao mundo.

Somos mais propensos à psicose por exemplo, pq a intensidade de nossas emoçoes é demais e constante. Qq pessoa "normal" que passasse por uma situação que a fizesse realmente sentir na pele uma emoção na intensidade com que sentimos, tbm piraria, alias pira mesmo.

Ora, eu quero e preciso me adequar ao mundo, mas quando olho o mundo que está aí fora.......... ai

E a que preço, não?

Então, me dei conta, no meu caso, e minha psicologa e meu medico concordam, que preciso muito mais de psicoterapia do que de remedios. Pq ja encontrei um remedio que "segura" as doenças que vêm com a bipolaridade.

Pq a solução está em me autoconhecer, conhecer, acreditar e respeitar meus limites, minhas dificuldades e minhas qualidades e criar e encontrar ferramentas minhas para encontrar um lugar para mim no mundo.

Fiquem com Deus
jamais desistam de vcs"

Nossa Playlist