Pesquisar este blog

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Ando distante...

...simplesmente pq ando doente e nenhum medico sabe direito prá onde vai. Todo meu lado esquerdo dói, já fui a 3 emergências diferentes, 2 ambulatoriais, e ninguém entra num consenso do q tenho. Analgésicos são receitados e injetados veia adentro, e nada resolve minha dor, minha fadiga, minhas tonturas, minhas dormências e choques. Uns acham ser muscular, outros neurológico, outros, ainda, auto-imune. O jeito é esperar, fazer exames e esperar, mudar remédios e esperar e me encher de todo tipo de analgésico. O lado bom é q tem quase 3 semanas q não bebo nem fumo; o lado ruim é q ando com um mal-humor DAQUELES! Ai, minha

Nossa Senhora do Lítio q me salve!

Ia'Orana!

Não era amor... (Martha Medeiros)

"Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados. A carência. A saudade. A mágoa. Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo.

Eu bati a 200 km por hora e estou voltando à pé pra casa, avariada. Eu sei, não precisa me dizer outra vez. Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos.

Talvez este seja o ponto. Talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas. Onde é que eu estava com a cabeça, de acreditar em contos de fada, de achar que a gente muda o que sente, e que bastaria apertar um botão que as luzes apagariam e eu voltaria a minha vida satisfatória, sem seqüelas, sem registro de ocorrência?

Eu não amei aquele cara.
Eu tenho certeza que não.
Eu amei a mim mesma naquela verdade inventada.
Não era amor, era uma sorte.
Não era amor, era uma travessura.
Não era amor, eram dois travesseiros.
Não era amor, eram dois celulares desligados.
Não era amor, era de tarde.
Não era amor, era inverno.
Não era amor, era sem medo.
Não era amor. Era melhor."

Nossa Playlist