Pesquisar este blog

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Feliz Nova Idade!

Agora entendo os q as pessoas sempre diziam. Os aniversários vão passando e começam a pesar.

A ideia de fazer 30 anos foi mais assustadora do q fazê-los, realmente. Vivi esse ano, dentro do possível, curtindo a idade redonda, fazendo até graça pq a maioria das pessoas me dá idade bem menor. Já pediram minha identidade e perguntaram por meus pais. Lisonjeiro, não? Não tenho realmente do q reclamar...

E agora, os 31. Eu tava tão tranquila em relação a esse aniversário, ao contrário do último... E foi só o dia chegar q senti meia tonelada nas costas. Eu sei q já vou me acostumar com o novo número, mas o efeito do aniversário dura ainda algumas semanas... Até alguém perguntar se eu tenho 23 anos novamente, rsrss... É, acho q daí relaxo.

O mais interessante é meu novo olhar diante dos caras mais novos. Será já a crise de meia-idade??? Nunca fui de me atrair por moleques bonitinhos, desde novinha sempre gostei da cor grisalha das cabeças mais vividas... Mas ultimamente os homens mais velhos q têm me aparecido parecem tbm estar em crise, se comportando como os meninos com quem convivi durante minha adolescência nos anos 90. Se eu, na época, já achava o comportamento infantil, imagine agora! E tenho visto meninos q parecem tão sérios... Claro q pode não passar de imagem - por dentro certamente há aquele rapazinho morrendo de medo da balzaca decidida aqui. Eu sei. Mas nem tenho grilo mais, quero é me divertir, até pq a vida é curta e minha ampulheta tá correndo...

Sim, tenho sentido falta de uma compania. Os meses de tranquila solidão foram embora me deixando o instinto de "caçadora". Sei q não se conquista caras dessa forma, mas não gosto de jogos e como eu já disse, o legal é me divertir. Até pq, qndo for prá valer, sei q vai acontecer. E aí essa pessoa especial vai me achar especial do jeitinho q eu sou.


Ia'Orana!
Shalom!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Giz

Agora, diante de tanta intimidade com a espiritualidade, tomei a liberdade de me abrir pras minhas curiosidade mundanas e egoístas. Sim, acabei perguntando de você. Pai-Velho repetiu por um longo tempo: "é mto amor... É mto amor... Mto amor...". Depois fui especificando as perguntas, ele foi explicando - "mas não é prá agora".

É, não é a primeira vez que recebo esse tipo de mensagem, mas é sempre bom ser lembrada do dom da paciência. Nem todos têm a minha sorte e prá falar a verdade, eu mesma já cometi todas essas bobagens que você comete agora. Mais verdade ainda, é disso que temo. Mas meu Pai-Velho foi claro ao me alertar que eu não posso te proteger de tudo, não sou sua mãe afinal! Você precisa saber a verdade e também, se eu parar prá pensar, eu acabei aprendendo com todos os meus erros e revelações... Você é igualmente capaz.

Na verdade não sei porque me deu essa curiosidade. Faz poucos dias que tivemos aquela discussão difícil mas que teve um final feliz, como eu já tinha visto em sonho várias vezes. Os pingos foram postos nos "is", eu não alimentava mais nenhuma expectativa, trocamos novidades, você está bem acompanhado e eu em busca do meu Mr. Right - acho até que estou bem próxima dele... Dai eu tenho que perguntar de você?!! Será q sou mesmo maluca? Você deve estar certo: eu machuco aos outros e me machuco. Parece que gosto disso.

Que seja! Só me resta aprender a seguir minha intuição em relação à minha vida afetiva, o resto será como terá de ser... "Lá vem, lá vem, lá vem de novo: acho que estou gostando de alguém".

Mas é de ti que não esquecerei.

Ia'Orana!
Shalom!



Nossa Playlist