Pesquisar este blog

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

"Meu mundo caiu..."

Fui no posto pegar meus remedinhos, toda feliz pq estou me dando bem com eles. Mais uma vez, fluoxetina e haldol estão em falta. Mês passado tbm estavam, mas eu tinha uma receita guardada na bolsa e meu pai do lado prá me emprestar o dinheiro, comprei a fluoxetina e resolvi usar o haldol em gotas q eu já tinha em casa.

Só q esse mês não tem receita (a médica está de férias), não tem dinheiro, só tem o haldol (com o lítio e o rivotril). Por um lado é bom, pq garante q eu não arranque meus cabelos (quem acompanha sabe q é literalmente), por outro lado, ficar sem a fluoxetina me deixa meio sem rumo. Tento pensar "espere o q vai acontecer, depois se desespere", mas acho q os medicamentos tbm se tornam muletas psicológicas, acho q vou ter sérios problemas sem a fluoxetina (q já estava pouca, recentemente a dose foi aumentada).

Mas não dá, né? Nossa vida depende de medicamentos q, derrepente assim, simplesmente "faltam", sem a mínima explicação ou previsão de quando volta. É uma falta de respeito essa saúde pública... A privada tbm é. Mas prá bipolaridade eu uso dos serviços públicos justamente pq não tenho condições de comprar a penca de remédios q eu tomo...

Eu acho q o q eu preciso mesmo é trabalhar. Ter meu dinheiro, pôr a cabeça no lugar... Trabalhar é mto bom, ter o dinheirinho certo no fim do mês tbm... Sinto mta falta. O problema é com quem deixar as crianças agora, já q minha sogra q ficava com elas agora tem q cuidar da saúde dela urgentemente... Aff, parece q qndo vem um problema, vem uma avalanche, tudo ao mesmo tempo!!!...

Mas, como disse um dia Renato Russo, "qndo tudo está perdido, sempre existe um caminho...".
Tenho fé.

Ia'Orana!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

February Stars

É... Acho q andei tão lesada q esqueci q o blog existe... Na verdade não há mta novidade na eutimia, acho q isso me desestimulou a postar.

Aí, começou a vir os baratos: vou mudar a cor de cabelo! De cabelo preto-ébano prá loira platinada! E ainda resolvi pegar o sol q o transborda no Rio de Janeiro prá contrastar. To tão diferente q as pessoas não me reconhecem na rua, hahahahahaha... Fugir dos credores agora tá mais fácil. Mas... Fica a dúvida: isso sou eu ou o transtorno?

Aí bateu a mania de um vinhozinho todo final de tarde. Ah, o q é q tem, né? Só uma dosezinha... Dizem q é bom pro coração. Até aí tudo bem, até o dia q me recusei de sair de casa com minha família pq estava impossibilitada: havia passado a tarde no msn bebendo vinho. 5 ou 6 taças generosas, acabei com a garrafa. Passei mal. Perdi o boliche com os amigos. Sou eu ou o transtorno?

As vzs me bate isso, uma vontade louca de beber, seja vinho, cerveja, Ice... E eu não devia estar tomando nada disso. Mas todo mundo pensa "ah, um pouquinho não vai fazer mal...", mas eu sempre passo do pouquinho. Só ontem tomei 2 Ices e uma cerveja. Assim, num meio de semana. Depois fui visitar a bb de um grande amigo nosso - eu tinha pedido pró Mr.G prá marcarmos outro dia, mas todos insistiram, e lá fui eu. Cheguei à conclusão de q minha intuição não falha: toda vez q não to bem prá sair, apesar do Mr.G dizer q é frescura, se eu forço a barra, fico meio abobalhada, as pessoas falam comigo e eu tenho dificuldade de responder, não sei dizer. Na verdade parece q todo mundo tá falando comigo ao mesmo tempo, e eu não consigo focar ninguém. Com ou sem álcool na mente. Mas é claro q o álcool piora tudo.

Chegamos em casa e fomos pro terraço, admirar as estrelas. Crianças dormindo, deu prá eu explicar a minha estranha sensação qndo saio contra vontade ao Mr.G. Mais uma vez, acho q ele não entendeu. "Acho q tenho q virar crente", eu disse. Ele não entendeu, denovo. Queria dizer q tinha q mudar de vida, parar de fumar e beber, ter uma vida mais regrada.

"Então vira adventista. Pelo menos eles são vegetarianos...", ele respondeu.

Parei prá pensar. "É, mas e o meu sushi?"

"Vegetariano não come sushi??"

"Claro q não, é peixe! Eu não sou vegetariana apesar de não comer carnes..."

O silêncio disse "então ferre-se sozinha".

Realmente, ele não entendeu nada.


Ia'Orana!

Nossa Playlist