Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Terapia comigo e "sem-migo"

Como a subserviência me irrita!! Ainda q seja da minha própria mãe em relação à mim mesma.

Será q estou prestes a entrar em crise denovo? Não sei, às vzs tudo parece rodar à minha volta... Uma roleta tipo programa Silvio Santos: "olha lá, vai parar na euforia!!!", ou "oh, q pena, parou na depressão, mas vc ainda pode ter outra chance...". Hj, via messenger, mandei um amigo de infância se danar (mas, aqui entre nós, ele bem q mereceu - alias, tava merecendo já há mais de 10 anos...). Minha vontade era fazer o mesmo pela minha mãe à tarde - mas não foi por mal. Ela simplesmente esqueceu de q o trabalho dela já acabou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ela é uma mulher de coração enorme (e pela manhã eu estava ensaiando mentalmente um poema prá fazer a ela pelo dia das mães), mas não consegue enxergar a mim e ao meu irmão como indivíduos adultos. E como eu ODEIO isso!!!!!!!!!!!! Pq ela não dá a volta por cima e decide viver a própria vida?? Resolvi ligar a ela prá dizer isso com a melhor das intenções, mas vcs sabem q disso o inferno está cheio - já viu no q deu.

Talvez todo meu ódio se refira ao meu próprio espelho. Olho prá ela e possivelmente me vejo. Apesar de todos os meus "pseudo-esforços" em ir na contra-mão, me tornei um repeteco da sua vida. Sou a dona-de-casa q ela sempre vomitou na minha cara q eu me tornaria (contrariando meus desejos e planos). E não consigo sair disso. E agora ainda têm os problemas mentais. A dificuldade de lidar ao mesmo tempo com medicação pesada e a vida de filhos seus... E eu simplesmente não quero me ver paparicando minhas filhas já adultas, não quero q isso se repita comigo!! Quero respeitar e ser respeitada por elas, mas não quero subserviência, nem de lá, nem de cá. Talvez isso explique tudo...

Hj na terapia, cheguei a duas conclusões q talvez se entrelassem. Primeiro q eu não aprendi - através de exemplos - como expressar afeto. Então tudo q eu fiz e parei pela metade na vida só foi feito enquanto eu era a melhor da turma, e depois abandonado, pq eu queria mostrar a alguém (certamente meus pais) q eu era capaz. A outra conclusão foi q, por causa dessa dificuldade de lidar com o afeto (q, graças a Deus, não afeta minha relação com minhas filhas), estou tendo problemas com meu marido. Meus sentimentos de amor e ódio oscilando por ele estão acabando comigo, e eu não sei o q fazer com tanta intensidade. E eu me sinto perdida.

Vou tentar tomar um rivotril e dormir, enquanto Mr. G. não chega...

Ia Orana!

Um comentário:

Dani+Cleber=Ana Luíza e Clebinho disse...

Olá Amiga Lokinha
Tudo Bem??
Estamos aki para convida-la a participar do nosso circulo de amizade bloqueiro...Será muito bem vinda♥Nos visite.
Bitocão
♥Dani+Cleber=Ana Luíza e Clebinho♥

Nossa Playlist