Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Paranóia: meu vício é vc!

Eu queria chegar aqui e expressar simplesmente como ando feliz com as oportunidades aparecendo, com a minha espiritualidade, com a boa perspectiva do Enem e de iniciar a faculdade ano q vem... Até mesmo a satisfação com minha própria solidão. Pq é realmente verdade q ando feliz por essas coisas. Mas como "o pão do pobre sempre cai com a manteiga virada pro chão", tbm vivo o revés, em outro canto de mim.

Lembram daquele neurologista magnífico q me atendeu no Hospital da Lagoa? Pois é, fiz os exames pedidos, mas não consigo mais entrar em contato com ele. Acho q vou dar um pulo lá numa quarta-feira, dia em q ele costumava atender - mas tem q ser bem planejado pelo dinheiro da passagem, tempo de viagem e as dores q estou voltando a sentir. Pois é: estou voltando a sentir...

Leio e releio o laudo da ressonância da coluna, reviro as imagens como se eu realmente fosse profissional no assunto. Será normal alguém ter, aos 30 anos, uma coluna tão "podre" qnto a minha aparenta no exame? Será q isso tudo vai ter uma solução definitiva ou eu terei q entorpecer minha dor pro resto da vida? Bem, eu já sou bipolar pro resto da vida, mais um remédio, menos um, né?... Mas q dê conta! Pq eu já passei por um bom número de analgésicos, opiáceos e afins e o único q deu resultado - a amitriptilina - parece q agora não tá dando mais conta... E a fadiga? A eventual sensação de gripe iminente?... Daí fico pensando: será q eu deveria ter seguido a sugestão q me deu uma médica de um dos váááários prontos-socorros q me atenderam? Ela tinha dito prá eu tentar um reumatologista, q essa coisa de sentir dor só de um lado do corpo podia ser auto-imune... Bem, "reza a lenda" q eu teria tido um "reumatismo" qndo criança. A questão era q eu sentia mtas dores nas juntas, o meu próprio joelho esquerdo era um tanto deformado (mais parecia um unicórnio) e cheguei a tomar comprimidos q acho q eram corticóides por um tempo. Minha mãe desistiu da medicação, minhas dores então foram consideradas "de crescimento", meu joelho então ficou em observação prá saber se o jeito era operar ou engessar, enquanto isso eu era liberada das aulas de Educação Física na escola (a parte boa disso tudo). Qndo saí de casa, aos 18 anos, meu joelho ainda estalava mas a deformação regrediu. A favor desta teoria tbm está o fato de q os nós dos dedos da minha mão direita incharam mto nas primeiras semanas em q minhas dores neuropáticas se manifestaram, eu mal podia fechar a mão...

No entanto, contra isso tudo, meu resultado do exame de FAN (Fator Anti-Nuclear) deu negativo. E AÍ?


E aí q não quero nem saber: amanhã vou catar um reumatologista e um ortopedista prá darem uma olhada q seja nos meus exames. Adoro fingir q sou a versão feminina, jovem e - pq não? - mto mais bonita do Dr. House, só q eu não sou médica! Sem falar q às vzs o excesso de pesquisa acaba me deixando louca e sem tempo prá me curtir, na minha plena solidão, qndo pela primeira vez na minha vida excessivamente romântica, não desejo ter alguém ao lado. Não é q eu repeliria, eu simplesmente não estou buscando.

É... Parece q a maturidade tá me fazendo bem... Depois do susto de me aproximar dos 30, estar prestes a fazer 31 me faz me sentir plena, sabe?

E se aparecer alguém na minha vida, q este seja tbm pleno.
(Chega de metades! Agora quero estar inteira prá ter um outro inteiro!)

Wish me luck!
Ia'Orana!
Shalom!

Nenhum comentário:

Nossa Playlist