Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Semana do Enem.

E tudo o que eu queria era descansar prá estar preparada para o final de semana de provas...

Segunda acabaram meus remédios, mas com as crianças em casa, decidi aproveitar o tempo com elas. Afinal, o q seria 1 diazinho ou 2 sem remédio, né?

Pois é, nada. A não ser pela insônia maldita q começou a tomar conta. Não conseguia descansar direito nem qndo conseguia cair no sono. Mas "vai passar",  logo vou poder pegar os medicamentos e voltar à vida normal...
...
Eis q a caçula amanhece na terça com otite. Controlei com os remédios q tenho em casa, mas na quarta a febre não baixava. Era hora de correr pro pronto-socorro! Meu pai me ajudou a levá-la, esperou por mim e depois nos levou à farmácia, prá comprar o antibiótico q minha filha precisava. Sabe a sensação de não ter dinheiro prá comprar um remédio prá um filho doente?? Pois é, eu conheço bem. Principalmente os pacientes psiquiátricos né?... E a sensação de q já está chegando a hora d'eu começar a cuidar dos meus pais, mas ainda dependendo deles de certa forma... Acho q era uma mistura de frustração, cansaço e falta de Litio. Mas logo passou, qndo vi a caçula melhorando a largos passos. Ela foi então prá casa do pai, onde voltaria à rotina.
...
Cheguei em casa já no pique de me preparar para a entrevista de emprego q faria no dia seguinte, uma quinta-feira. Separei as roupas - nada formal demais, mas sem informalidade. No dia seguinte, uma maquiagem bem leve, pego o ônibus, oração para conseguir não me perder e chegar no horário, prá me manter calma na hora de falar, sabedoria prá saber o q eu realmente devia contar... To mto enferrujada dessas coisas, sério. Mas não me amedrontei, enfrentei no jeito mais meu de ser: se é prá ser, q seja o melhor. Minha velha filosofia de pular de bungge-jump.


Tudo parecia ser ao meu favor, então aproveitei o retorno prá ver minha tia-avó e minha avó, q mto têm me apoiado nesse reerguimento, e com quem não tenho tido tempo de sentar e conversar das coisas da vida. Ri, contei da correria da semana, enfim, relaxei. Me despedi "vou lá q ainda vou tentar dar uma lida na matéria do Enem...", elas consentiram, felizes. Minha avó em particular, fica mto orgulhosa pelos estudos dos netos. Aliás, ela é como eu: busca conhecimento alheatório onde pode. "O que fica aqui (aponta prá têmpora) fica prá sempre!", ela sempre diz. Me identifico mto.

Ao entrar em casa, o susto: a luz não acendeu. "Será q queimou de novo?", relembrei semana anterior. Não, nada ligava. Cortaram, e algo me dizia q era por falta de pagamento. Como quem está por enquanto lidando com isso é Mr.G, tentei saber. No fim foi toda aquela discussão amargurada de um casamento rompido pela vontade de um só. Mas tudo se acertou. Houve, porém, uma falta de documentação q inviabilizou a religação. Já era noite de sexta. A empresa q me entrevistou não ligou. E certamente a Light não religaria a energia durante o fim de semana. "Meu D'us!!! Esse é o fim de semana do Enem!!!"


Até o primeiro dia de prova foi tranquilo. Cheguei cedo, relaxei bastante, orei bastante tbm, não prá um milagre, mas prá q eu ficasse calma e lembrasse do q estudei. Pq as vzs meu cérebro falha nos momentos em q mais preciso, e eu tive mto medo disso. Minha própria mão esquerda estava trêmula, às vzs eu a botava debaixo da coxa. Mas qualquer um q visse ia simplesmente achar q era nervosismo pela prova. Menos mal...
...
Sábado à noite, sem energia na casa, cansada e tentando me recuperar prá prova de Matemática q tanto me amedrontava, mas sem sono. Q falta faz um Rivotril às vzs... Não peguei no posto durante a semana, agora eu estava uma pilha de nervos. Mas logo começou um baile funk em frente à minha casa, daí q não consegui dormir MESMO! Um inferno q "não tinha hora prá acabar" mas q acabou em torno das 5 da manhã. Às 9 fui acordada pelo despertador sem nem saber quem era eu.
...
Terminei de jogar fora os últimos alimentos estragados da geladeira, fiz um café forte, tentei me concentrar. O q passou, passou, o negócio é levantar a cabeça e enfrentar a prova, né? Foram 4 horas e meia de prova - boa parte gasta com Matemática, pq Redação e Línguas foram surpreendentemente fáceis. Mas Matemática me deu vontade de bater a cabeça na mesa... Ah, não - eu BATI a cabeça na mesa. Haja lanchinho, água e banheiro, mas enfim, consegui... Ao chegar ao portão da faculdade onde fiz as provas, tive um desejo imenso de q inventassem um teletransporte, queria piscar e estar em casa. Não, em casa não, não aguentava mais aquela solidão à luz de velas. Peguei um ônibus prá casa da minha mãe: precisava ver gente, luz elétrica, internet! Mas antes precisava de um banho e descanso, pq cada fibra do meu ser doía...

Até q foi boa a temporada na minha mãe... Tinha tempo q eu não convivia com outras pessoas, e apesar de   gostar da minha solidão e mtas vzs me desentender com minha mãe, foi um início de semana agradável. Peguei meus remedinhos, to me sentindo mais leve. Agora q já tem eletricidade em casa, é reativar os sistemas de funcionamento... E hj resolvi dar uma olhadinha no gabarito do Enem (eu nem ia ver, mas é difícil esperar até janeiro sem idéia de como fui), daí fui relembrando as coisas q marquei, e se eu estiver certa, tive cerca de 75% de aproveitamento!!! Não é maravilhoso????? Diante dos dias tensos q eu tive, eu acho maravilhoso... Em Línguas tive o melhor desempenho: 90%. To mto feliz!!!!

Filhotas saudáveis vindo amanhã, notícia de q provavelmente terei uma boa pontuação no Enem, mais uma chamada para entrevista de emprego: é, ainda to cansada, mas tá valendo mto a pena... Fazia tempo q não tinha tanto orgulho de mim qnto agora!

Ainda falta melhorar algumas coisas, mas o importante é q AGORA EU TO FELIZ!


Ia'Orana!
Shalom!

Nenhum comentário:

Nossa Playlist