Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

"Só louco, amou como eu amei..."

A raiva traz o medo. O medo traz a raiva. É, se pensarmos bem, Osho estava realmente certo...

Não q eu seja chegada em literatura de auto-ajuda americana, mas tbm não dispenso nenhuma leitura q caia nas minhas mãos. Pelo menos - apesar de eu discordar de mta coisa - o livro de Osho q ganhei de Natal me fez pensar (talvez a parte de "auto-ajuda" ajudaria mais se eu o lê-se há uns 10 anos atrás mas, enfim, a gente tenta tirar o melhor das coisas).

O medo me dá não só raiva, como me enfurece completamente, me deixa cega. E toda essa fúria, ao mesmo tempo, me amedronta (por isso mesmo).

O medo de q todo esse ódio desmonte o castelo de cartas q tenho construído há mais ou menos 1 ano, cada andar q construí chorando e mtas vzs engolindo a própria raiva...

E a raiva de todo esse medo ainda mexer tanto comigo.

O q se faz, então? Engole o choro? Engole a raiva? Tapa o sol com a peneira?

Nada q alguns minutos no cantinho da cama, tão apertadinho qnto meu peito naquela hora, não pudessem ajustar. Nada q algumas pqnas ofensas enfurecidas não pudessem acalmar. E depois de quebrar esse círculo vicioso, de alma lavada, poder buscar a mão do outro no meio da cama e dormir em paz, ouvindo a batida de outro coração...

Ia'Orana!

2 comentários:

Ana disse...

Medo ?
É necessário para despertar o melhor de nós, para que saibamos do que nunca soubemos.
O que fazer ?
Olhe para ele de frente, nos olhos, daquela forma que as pessoas que têm medo receiam ser olhadas.
Tenho certeza que ele vai sair correndo,para longe de você, pois ele só fica com quem se deixa abater, só se estabelece onde reina soberano.

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom

Nossa Playlist