Pesquisar este blog

domingo, 2 de junho de 2013

Somatização

Acho que não foi à toa que essa noite sonhei que estava viajando numa nave espacial, a caminho de outro planeta. Talvez seja só meu inconsciente dizendo que realmente preciso ficar "fora do ar" por um tempo.

Está se tornando recorrente essa angústia cujo motivo (ou motivos) eu não conheço. Eu precisaria que a vida parasse só uns dias prá eu poder mergulhar em mim mesma, me compreender, me conhecer, e assim poder botar minha própria vida no lugar... É, mas a vida não para. Nem sequer por um minuto. Preciso de um tempo só pra mim e a vida tá lá, me chamando, o tempo todo. Resultado? O corpo somatizando tudo que eu não consigo elaborar. Dor aqui, dor ali, indisposição, uma leve tontura... Jogo a melancolia prá debaixo do tapete e o resultado é esse. Mas faço o quê???

Não quero mais gritar mentalmente que está tudo bem enquanto o corpo diz que não está. Não quero mais fazer parte desse círculo vicioso. Não quero mais tentar me distrair com as pequenas alegrias que a vida me dá, porque nada mais é do que isso: mera distração. Fico brincando de pique-esconde comigo mesma quando na verdade eu queria me encarar de vez. Sem máscaras, sem filtros, simplesmente olhar prá mim mesma. Aceitar minhas contradições internas, resolver meus próprios impasses. E a partir daí, tomar fôlego pra recomeçar.

Mas se a vida tá lá, sem me dar tempo prá respirar, faço o quê?

Às vezes eu só queria não ser tão intensa... Ou pelo menos não parecer tão sublime.

Shalom!


Um comentário:

Iara Maria Carvalho disse...

Esse final foi fantástico!
Como não nos espantar com esse universo de contradições que circula em nossas mentes?
essa inquietude, essa angústia...
enquanto isso, a vida vai girando igual disco na vitrola.

um beijo!

Nossa Playlist