Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de julho de 2012

O espelho

Cansaço. Entro no ônibus e recosto minha cabeça no banco. Olho para as luzes acesas do lado de fora e acabo me deparando com a sua boca refletida no vidro da janela. Demoro, mas então me dou conta que aquela boca, que eu acho tão linda, não era a sua, mas a minha.

Ainda espantada, relembro outros traços que temos em comum. Busco na memória algum possível motivo que justifique o fato de sermos fisicamente parecidos, sem encontrar. Observo dessa vez o reflexo dos meus olhos, o formato amendoado rasgado pro centro, detalhe que adoro admirar nos seus. Nesse momento me vem à mente a mensagem que Pai Joaquim da Cachoeira me deu, pacientemente, duas ou três vezes. Da última vez ele alertou que não repetiria mais:

- "Olhe-se no espelho, mas não apenas para admirar a beleza. Olhe e veja o seu verdadeiro reflexo, confie em si. Assim você será feliz..."


Nunca entendi direito essa mensagem, mas nesse momento, dentro do ônibus, tive um insight: será que eu estava olhando o espelho errado por todo esse tempo? Por todo esse tempo, o meu verdadeiro espelho era você?... Há uma teoria que diz que costumamos nos sentir atraídos por pessoas fisicamente parecidas conosco, e isso até justificaria nosso interesse mútuo. Mas não é só isso. Ideias e comportamentos parecidos já eram notórios. Talvez isso explicasse o fato de sempre prevermos atitudes um do outro, ou conhecermo-nos a alma intimamente. Olhei no centro dos meus olhos e vi você. Sua presença era quase palpável e eu jurava que podia ler seus pensamentos onde você estivesse, entender o porquê das suas palavras e atitudes. Puxando pela memória, já estive em seu lugar, abrindo mão de si prá buscar fazer o que era certo. Agora fica fácil compreender-te. Agora fica mais fácil te encontrar na distância: basta eu olhar no espelho e seu sorriso e olhar estarão lá.

Passei o resto da viagem sorrindo para a janela. O ônibus estava vazio, mas se alguém notou, com certeza não entendeu nada. Depois daquela conversa interrompida pelas coisas da vida e dos desencontros do dia, te ver no meu reflexo me confortava: me confortava saber que você estava em mim e que eu podia te encontrar quando eu bem quisesse. Me conforta saber que eu estou em você e a possibilidade de você conseguir o mesmo...


Shalom!

Nenhum comentário:

Nossa Playlist